Carlos Castilho Pais faz um retrato da atualidade Portuguesa...
Carlos Castilho Pais
País

Mar e tempestade e muitos barcos sem remos,
É neste país de monstros sem falarem
Onde mora a viagem inacabada
E o medo espreita em cada brisa matinal.

Gosto de unir os pássaros velozes
E de apartar o cão do gato faminto,
É a vida – como dizem – que me resta
De um abraço forte, intenso e puro.

À minha amada entrego o rebanho
E os pastos em flor de malmequer,
Que mais nada desejo, triste fico
E o anuncio aqui, agora e para sempre.

Carlos Castilho Pais