Apresentação

Aprender para nós é construir, reconstruir,
constatar para mudar o mundo, o que não se faz sem
a abertura ao risco e à aventura do espírito.

Paulo Freire


ANIALL – Alfabetizar, (ainda) é preciso!

A ANIALL é uma Associação de âmbito nacional, cuja criação teve por base os dados apresentados pelo Censos 2001.
  • Portugal é o país da Europa com maior percentagem de pessoas que não sabem ler nem escrever. Ainda assim, nos últimos 30 anos, o analfabetismo diminuiu 17 por cento, segundo os dados do CENSOS de 2001.
  • Portugal é, também, o país da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económicos) que tem maior taxa de abandono escolar: apenas 20 por cento dos portugueses atinge o ensino secundário, ficando-se a grande maioria pela escolaridade obrigatória, (até muito recentemente, de 9 anos)

Promover a leitura

O trabalho a desenvolver centrar-se-á na promoção da leitura, enquanto actividade propiciadora de meios que vão permitir a inserção plena de todos na sociedade. Uma integração pensada e consciente, porque baseada em critérios que cada um soube definir para si próprio, em função das suas características e das suas necessidades. Será, seguramente, uma forma eficaz de levar ao exercício da cidadania, que se quer inteira, na sociedade do século XXI.

 

Literatura, leitura, literacia

Literatura, Leitura e Literacia, três conceitos em dialogo permanente para a construção de verdadeiros leitores, ou seja, aqueles que lêem porque gostam de ler, aqueles para quem a leitura é fruição. Aqueles que, tendo já interiorizado todos os mecanismos da leitura, podem agora ir muito alem do mero descodificar de textos, porque adquiriram, já, um conjunto de capacidades a partir das quais resolvem facilmente as suas tarefas profissionais, na sua vida pessoal, ou em contexto social. Verdadeiros leitores serão todos aqueles a quem a leitura já abriu portas a um mundo mais vasto, ao universo das artes, -- a literatura, o teatro, a música, a dança --, expressões maiores na construção plena do indivíduo.

 

Saber ler e escrever

Saber ler e escrever é um direito consagrado universalmente. Entre nós, um pais europeu, é fundamental que todos tomemos consciência do inegável valor destas competências e da necessidade absoluta de se trabalhar para melhorar as qualificações pessoais e profissionais. Só assim, estaremos a criar condições para que todos tenham oportunidades de sucesso e realização pessoal.

Nos últimos anos, foram instituídos programas de qualificação, como as Novas Oportunidades, que, em muitos casos, não puderam ser aproveitados, apenas, porque os interessados eram analfabetos. Programas como o POPH (Plano Operacional para o Potencial Humano) incentivam e apoiam a sociedade civil no combate à Iliteracia e à redução das taxas de analfabetismo.

 

Objectivo

Combater a exclusão social,

  • reduzindo a taxa de analfabetismo
  • baixando os índices de iliteracia.

 

Modos de operacionalização

  • Recolha de dados (através de inquéritos, investigação histórica e descritiva...) para conhecimento das características próprias dos locais onde vai decorrer o trabalho de alfabetização
  • Desenvolvimento de actividades de aproximação às comunidades locais, para uma boa aceitação das equipas de alfabetizadores.
  • Promoção de acções/sessões de esclarecimento sobre os objectivos da formação, para motivar e incentivar as populações
  • Aplicação do método Paulo Freire, que supõe o total respeito do alfabetizador na interação com o alfabetizando.
  • Criação de núcleos e espaços culturais com diferentes valências, vocacionados para crianças, jovens e adultos, com especial atenção aos idosos.

 

Recursos

Num momento em que é já uma realidade a transferência de responsabilidades do Estado para as Autarquias, consagrada em Lei da República de 15 de Janeiro de 2003 (Lei nº 7), entendemos que é dever desta Associação contribuir para "uma dinâmica de modernização do Estado" na construção de " um modelo mais justo e equilibrado para todos".

Assim, no respeito pela ideia de descentralização administrativa, serão nossos interlocutores privilegiados, de entre os agentes das comunidades locais as Autarquias – Câmaras e Juntas de Freguesia --.

Em parceria, poderá a Associação candidatar-se aos Programas comunitários de apoio – POPH que incentivam e apoiam a sociedade civil no combate à Iliteracia e à redução das taxas de analfabetismo.